Vale a pena assistir a Altered Carbon?
[ editar artigo]

Vale a pena assistir a Altered Carbon?

      No mês de fevereiro a Netflix trouxe a seu catálogo uma vasta gama de novidades, entre elas novas temporadas de Teen Wolf, Brooklyn Nine-Nine e filmes muito aguardados como Fury - Corações de Ferro e Guardiões da Galaxia. Porém, no mês do carnaval a expectativa estava a cargo da estréia de Altered Carbon, série mais cara a ser produzida pela Netflix.

      Contando com um ótimo elenco, com algumas exceções é claro, a série baseada na obra de Richard Morgan chegou com status de produção mais ambiciosa da gigante do streaming para 2018 , o que causou um hype enorme. O roteiro ficou a cargo de Laeta Kalogrides (Ilha do Medo) e direção com o sempre confiável  Miguel Sapochnik, responsável por alguns episódios da aclamada Game of Thrones.

      A série é ambientada no século 25 onde a tecnologia avançou a um ponto onde se é permitido a transferência de almas e upload de mentes, o que permite que os mais ricos e poderosos possam "trocar de corpos" constantemente  a fim de conseguir a imortalidade. O ator Joel Kinnaman, conhecido por seus trabalhos na série The Killing, no remake de Robocop e em Esquadrão Suicida interpreta Takeshi Kovacs, um ex policial que foi revivido em um futuro que ele próprio tentou impedir. Ele é trazido de volta para investigar o assassinato  de Laurens Bancroft (James Purefoy), um homem rico e poderoso, que graças a sua fortuna conseguiu viver por séculos em alto nível, homem que tem todo o sistema politico e judicial nas mãos, incluindo parte da policia.

     Com um temperamento forte e as vezes agressivo, Takeshi tem que lhe dar com algumas escolhas feitas no passado, quando integrava um grupo denominados de "Emissários", um grupo que lutava para tentar parar o avanço desenfreado de trocas de capas (corpos mortos) pela elite, possibilitando assim que outras pessoas teriam acesso aquela tecnologia. No decorrer da série ele conhece a detetive Kristin Ortega (Martha Higareda) que possui um grande senso moral e muita coragem, o que traz a série grandes momentos de tensão. 

      A série ainda conta com nomes como Dichen Lachman (The Last Ship), Leo Nam (Westworld) e Renee Elise (The Good Wife). Com um ótimo enredo pra uma série de ficção cientifica com uma pegada sci-fi, já nos primeiros quinze minutos é possível notar um grande potencial. As revelações trazidas a tona pela detetive Ortega e em seguida pelo Sr. Bancroft a cerca do assassinato que justifica o retorno de Takeshi nos deixam com uma certa curiosidade para o que está por vir. A fama por trás do titulo de "emissário" faz com que nossa mente anseie por descobrir o que isso realmente significa e quais consequências virão de suas escolhas.

      Enfrentando também fantasmas de seu passado quando policial e depois como emissário, Takeshi se encontra em alguns dilemas onde suas ações podem acarretar novos acontecimentos fatais para ele ou para aqueles que o cercam. Takeshi se mostra um personagem difícil e cativante e nos primeiros episódio já mostra do que um emissário é realmente capaz e porque eram tão temidos. A série se completa com uma ótima atuação de Martha Higareda no papel da detetive Kristin Ortega, que consegue entregar uma personagem forte e totalmente independente com alguns conflitos de interesses junto a Takeshi, o que só é revelado na metade da série.

     Portanto fica a dica de uma ótima série, com muito potencial e sim, vale muito a pena assistir. Altered Carbon se mostrou uma ótima aposta da Netflix, mesmo custando muito dinheiro para os padrões da empresa, claro que tem alguns pontos negativos como uma ou outra atuação pífia, mas os prós superam os contras. Agora nos resta espera por uma possível, segunda temporada e seus desdobramentos.

 

Clube Minha Série
Continue lendo
Indicados para você