[ editar artigo]

Pontos Positivos e Negativos - Merlí

Pontos Positivos e Negativos - Merlí

Produzida pela TV3, emissora que produz conteúdo em catalão, a série se tornou sucesso na região espanhola e ganhou destaque internacional após ser exibida pela Netflix.

A série se faz interessante por inúmeros motivos. Ela discute o valor da Filosofia nas escolas, tema importante de ser discutido após a tal “reforma do Ensino Médio”. E como se não bastasse, “Merlí” ainda traz diversos debates importantes para a sociedade incluindo a exposição nas redes sociais, a transfobia, o conservadorismo de alguns pais, entre muitos outros.

Vale situar a você: criada por Héctor Lozano, a série aborda a história de Merlí Bergeron, um professor de filosofia que, após ser despejado do apartamento onde reside, vai morar com a mãe e leva seu filho adolescente junto, com quem não tem uma relação boa, para logo em seguida ser convidado para dar aulas na escola a qual ele estuda. Lá, Merlí demonstra um estilo diferente de dar aulas, provocando diversos problemas, assim também como soluções na turma e nos professores.

Pontos Positivos:

1 - Estudo sobre Filosofia:

“Merlí” conta alguns conceitos filosóficos muito interessantes de forma calma, divertida e diferente. Platão e Aristóteles dividem espaço com Hume, Epicuro, Nietzsche, Judith Butler outros diversos. Os episódios levam os nomes dos filósofos, a qual se torna o tema de cada.

2 - Discussão Educacional:

A série trás como principal ideia, os alunos tirarem informações do debate em sala de aula para resolverem seus problemas. Não de forma direta, e nem sempre clara, mas sempre tem um ou mais personagens que aplica o que aprendeu. O próprio personagem “Merlí” se aproveita de situações que acontecem com os alunos e na realidade da escola para escolher o assunto da aula, sem seguir muito o um padrão escolar exigido pelo sistema.

Além de mostrar uma importância muito grande sobre a matéria, a série mostra como a escola pode ser um local de aprendizado para a vida, e não apenas um lugar de acúmulo de conhecimento enciclopédico.

Intrometido na vida dos alunos, o professor de filosofia ensina, ao seu jeito, como os alunos podem lidar com dificuldades reais da vida, como a ausência dos pais, desencontros amorosos, e demais.

3 - Personagens com Personalidades do Dia a Dia:

Não é só Pol que tem a imagem aprofundada de forma a ir além daquilo que ele parece. Praticamente todos os personagens são mostrados além daquelas imagens típicas das escolas. O “nerd” tira boas notas pela disciplina rígida dos pais, a “menina fácil” sofre com o ambiente machista – e fica muito claro do que ela sente em relação à família, entre outros.

4 - Momentos Únicos:

Alguns momentos de Merlí que são simplesmente incriveis. Nada se compara com os momentos finais do episódio em que uma professora trans se sente integrada em um jogo de futebol realizado pelos alunos. Melhor que isso, só o melhor episódio feito de forma a homenagear descaradamente o filme O Clube dos Cinco, o episódio mostra os alunos, após uma detenção, chegando a conclusões relacionadas à filosofia de Descartes de uma forma que vai muito mais além do debate no filme americano homenageado.

As cenas de uma certa “festa na piscina” que a turma faz soam muito mais verossímeis que qualquer festa americana que assistimos nas séries em inglês.

5 - Discussões Integradas:

Pais conservadores, relacionamentos, exposição nas redes sociais. Estes temas estão longe de serem específicos de uma região. O mesmo pode-se dizer sobre homossexuais tentando se libertar do seus próprios medos, transgêneros e sua inserção na sociedade, e pessoas com agorafobia.

Considerando as situações dos personagens, a realidade das pessoas e até mesmo as dificuldades enfrentadas pela escola pública, podemos adaptar os temas para a realidade de qualquer grande cidade do mundo. É claro que a realidade de uma escola pública espanhola possui um pouco mais de privilégios do que a maioria das que existem no Brasil, mas o fato é que os temas explorados são muito mais universais que locais.

Pontos Negativos:

1 - Elenco Ausente de Diversidade:

Na representatividade, “Merlí” não é muito bacana. Não sei qual a proporção étnica da população da Catalunha… mas duvido que seja na mesma proporção que a séria aborda. Além de ter um excesso de personagens brancos, “Merlí” causa incômodo com alguns poucos personagens negros figurantes, sem absolutamente nenhuma fala. Em alguns momentos, a escola é vista como um ambiente multiétnico, mas no qual não há uma real preocupação com a representatividade da mesma.

2 - Machismo e Masculinidade a Tona:

Se a falta de diversidade étnica é um problema, o mesmo pode ser dito sobre a falta de feminismo. Enquanto os alunos possuem suas vidas aprofundadas, são poucas as alunas que conquistam tempo de tela para mostrar mais detalhes de suas famílias e suas vidas. Não é um desastre total, mas há problemas. A ausência da família de uma das personagens é sentida, assim como o grande foco da narrativa no charme de Merlí diante das mulheres.

Mas nada supera a resolução do problema enfrentado por outra aluna após o arco no qual um vídeo com ela circula por toda a escola: o debate é fraco e o discurso do professor de filosofia é cheio de problemas.

3 - Problemas de Resolução Rápida:

Com a quantidade de tramas dramas atenuados, “Merlí” é muitas vezes simplória na resolução de problemas.

Um pai conservador e incisivo repentinamente se aquieta, uma mãe ausente que descobre “do nada” poder mudar os turnos do trabalho, e até mesmo toda a questão da síndrome do pânico de um dos alunos é resolvida com certa simplicidade. Algumas tramas também são facilmente esquecidas. Sim, dar-ser a entender que o objetivo da série é passar por esses temas e apresentá-los, mas em alguns casos, a resolução soa bastante simples. 

Clube Minha Série
Adriano Ribeiro
Adriano Ribeiro Seguir

The World Never Change

Ler matéria completa
Indicados para você