[ editar artigo]

Once Upon a Time - 7ª temporada

Once Upon a Time - 7ª temporada

Com uma proposta de ser um recomeço, a sétima e última temporada de Once Upon a Time pode ser interpretada como um "spin off canônico", por ser mais uma história a parte. 

A mudança de cenário para Hyperion Height foi legal. Poder ver a história acontecendo numa cidade maior trouxe outras possibilidades para a trama. 

Os veteranos Regina, Rumple e Zelena se encaixaram bem, além de terem ótimos arcos, principalmente Rumplestiltskin, que mostrou uma clara evolução, devido a descoberta dele ter sido um salvador, o amor por Bela e o desejo de não ser mais o Ser das trevas.

Foi interessante ver que o Capitão gancho foi um personagem novo, vindo do mundo dos desejos. A trama dele foi um dos pontos altos da temporada, assim como Alice, sua filha. Alias, a personagem nova de maior destaque na temporada. O relacionamento dela com a Robin também foi bem trabalhado. Seria até interessante se fosse o beijo de amor delas duas que quebrasse a maldição.

Os vilões, que sempre foram destaques na série, não foram diferentes nessa temporada... Lady Tremaine surpreendeu ao ser revelada como Rapunzel, assim como João, inicialmente sendo Jack(do João e o pé de feijão), e depois sendo revelado como também Hensel(João da história João e Maria ou, que no restante do mundo chamam, Hensel e Gretel). Dois heróis que se tornam vilões. 

Desde a primeira vez que aparece no universo de One Upon a Time, Mãe Gothel se mostra como uma vilã diferente dos demais e, ao longo da temporada, confirma que é. A força da personagem em cada cena são ótimas, muito devido ao trabalho da Emma Booth. O único ponto fraco em relação a ela é a falta de coerência nos planos, afinal, ela estava em busca de irmãs mágicas, logo, por que ela trairia?

O núcleo da Princesa e o sapo, que é apresentado pela primeira vez na série, apesar de personagens bons, deixou a desejar. Dr. Facilier foi um vilão interessante, mas infelizmente muito mal aproveitado. Tiana, apesar de interessante, também foi mal aprofundada, assim como Príncipe Naveen.

Drizela surpreendeu em sua jornada, ainda que o seu núcleo tenha sido o mais confuso e cheio de erros, deixando a desejar.

Além dos pontos negativos já apresentados, houveram outras falhas, principalmente em relação a história, que apresentou uma ideia de outras versões dos personagens. Quando Henry se meteu nessas outras  histórias, havia a previsão de que coisas ruins aconteceriam, um assunto que foi muito mal desenvolvido. 

Outro fato é que, por mais que a série tenha apresentado que o tempo congela, com personagens que pouco envelhecem fisicamente, deveria ter feito mudanças físicas na Regina e Zelena, já que se passou bastante tempo.  

A história de Once Upon a Time acontece num outro reino, porém não dá para saber exatamente onde é, algumas vezes parecendo o reino dos desejos, outras não. 

A escalação de Dania Ramirez, teve como consequência um trabalho mediano e uma química não tão boa com o Andrew J. West.

Por mais que tenha sido apresentada como um reboot, as similaridades com tramas abordadas na primeira temporada (como a Lucy ter sido adotada pela Victória e a Jacinda ter desistido da Lucy quando a teve) conseguiram deixar a nova maldição bem interessante. 

Sendo uma última temporada, houve a entrada de novos personagens como a Madame Leota e a trama do Guardião.  

A última aventura da série, que mostrou eles indo para o mundo dos desejos, concluiu de maneira satisfatória o mundo de Once Upon a Time, onde revelou quem era o pai da Lily. Porém, o auge do final foi a coroação de Regina, proclamada a rainha dos reinos unificados e também como a "boa rainha". 

 

Fonte da imagem:

https://aodisseia.com/once-upon-a-time-7a-temporada/

Clube Minha Série
Ricardo Bezerra de Menezes
Ricardo Bezerra de Menezes Seguir

Curto series e, depois de um tempo postando em blogs, compartilho aqui no Minha serie as críticas que faço.

Ler matéria completa
Indicados para você