O The End of Fucking World de James e Alyssa
[ editar artigo]

O The End of Fucking World de James e Alyssa

Simples e direta, "The End of the Fucking World" é a quintessência do que "séries maratonáveis" significam e um caso clássico de uma série em que o título tem muito a dizer.

O que o fim do mundo significa pra você? 

Desde uma força de expressão até o iminente Apocalipse, entendo que a ideia de final do mundo é também compreendida quando a realidade deixa de ser agradável para nós. Final do mundo é quando deixamos de ser bons, ou quando desistimos.

Mas é possível deixar de ser bom? 

A questão é complexa e queimou muitos cérebros ao longo da história, mas aí podemos pedir ajuda a Rousseau. Para ele, todos os homens nascem bons, porém é a sociedade culpada por os corromper.

Posto isso, passado e presente se fundem, e no caso dos adolescentes James (Alex Lawther) e Alyssa (Jessica Barden) restou abraçar o absurdo para dar sentido às suas próprias vidas mergulhadas na pura rebeldia natural da idade.

Baseado em uma HQ homônima escrita por Charles Forsman e adaptada para a televisão pelo Channel 4 da Inglaterra, a série conquista respeito pelo pouco que ela tem por unir o bobo ao agradável. 

São 8 episódios de mais ou menos 20 minutos, como se fosse um filme de 2 horas picotado, contando uma estranha "história de amor" que perdura até o final do mundo.

James e Alyssa são Bonnie e Clyde do século XXI. O primeiro tem CERTEZA absoluta da sua psicopatia dada pela suposta incapacidade de sentir empatia, já a segunda é a típica adolescente revoltada e antipática que não se vê encaixada num mundo deprimente.

É aí que o simbolismo do celular que Alyssa atira no chão ganha força (e sim, é o próprio celular). Alyssa precisa se reafirmar pra si própria, James se reafirma pra si próprio a todo momento. Em comum, os dois precisam de uma sobrevida. 

Ao tacar o celular no chão, a falante Alyssa cruza o caminho de James que a vê como o próximo passo da certeza da sua psicopatia: ele precisa matá-la.

Se James é aquele que precisa terminar, Alyssa é aquela que precisa começar; na verdade recomeçar. E nessa jornada, os dois jovens que experimentam o final de seu mundo, constroem um novo para si mesmos cercado da empatia que os dois nunca conheceram.

É nesse final do mundo que no final da série os dois se separam. De um mundo (seus pais) que nunca os notavam, restou sair pelo mundo, uma road trip lotada de problemas como se fosse o CD do carro que só tem uma música e que se assemelha a vida deles mesmos. Mas a vida, lembra e relembra que a fuga de James e Alyssa cobra um preço caro, contudo, foi nessa bizarra jornada de amadurecimento que ali que os dois encontraram um sentido para que seu mundo recomeçasse. 

E curiosamente foi quando James completou 18 anos e resolveu que ele deveria assumir suas responsabilidades.

Clube Minha Série
André Prado
André Prado Seguir

O DescafeinadoBlog é um espaço pra compartilhar a minha paixão pelos filmes e séries com vocês, e agora no Clube Minha Série tenho uma oportunidade e tanto de demonstrar a visão que tenho sobre essas paixões. Acessem, please!

Continue lendo
Indicados para você