Minha série, minha vida: One Tree Hill
[editar artigo]

Minha série, minha vida: One Tree Hill

Eu sei que muitos de vocês que estão lendo esse post agora podem estar se perguntando: porque ele está escrevendo sobre essa série? Pois bem, agora é hora de você sentar, pegar seu óculos, um bom café, e embarcar comigo nessa viagem maravilhosa, onde conheceremos Tree Hill, sua nova casa.

Antes de mais nada, vou deixar aqui a sinopse oficial da série, que também pode ser lida nesse link.

Sinopse: Nathan e Lucas são dois meio irmãos que só tem em comum o pai Dan Scott e o dom para jogar basquete. Nathan foi criado como o queridinho do papai e sempre teve de tudo, ele é ídolo do time de basquete e o garoto mais popular da escola, enquanto o solitário Lucas foi criado por sua mãe Karen e pelo tio paterno Keith, com muita dificuldade e, apesar de ser um excelente jogador de basquete, só joga por diversão. O destino faz com que as vidas dos dois se cruzem e Lucas tem a chance de jogar novamente no time do colégio, o que provoca a raiva de Nathan e do seu pai que não quer que nada ou ninguém venha atrapalhar a trajetória profissional que ele sonhou para si no passado e agora traçou para o seu filho. A disputa entre os garotos não vai ser apenas pelo controle da quadra de basquete, mas também pelo amor da bela Peyton, uma líder de torcida e atual namorada de Nathan.

 

Agora sim vou dar meus pitacos sobre essa delicinha:

One Tree Hill é uma série que pode mudar a sua vida, a forma de encarar os problemas, de lidar com as pessoas e de tratar seus amigos e familiares. Não é apenas um série teen, com dramas familiares e crises existenciais, é uma verdadeira escola da vida.

Acompanhe o trailer da série no link abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=noDPlG88grk

Eu conheci a série em meados de 2009 e foi uma das primeiras séries que conheci, logo quando descobri o maravilhindo mundo das séries de TV. Estava eu na casa do meu primo, que já era viciado, e ele assistia One Tree Hill e Supernatural todas as madrugadas no SBT, que era exibida com o nome de Lances da Vida. Por volta de 2h da madrugada estávamos assistindo One Tree Hill, que já estava em sua 3ª temporada no canal do tio Silvio. Foi amor à primeira vista! Foi ai que eu comecei a me interessar pela série, por esse mundo fantástico de ser um viciado em séries. 

A série passou por altos e baixos, várias quedas de audiência que colocaram medo nos fãs, pois o drama correu vários riscos de ser cancelado. E assim foi. Na 4ª temporada a série estava com audiência tão baixa, que quase foi cancelada. Depois de muita conversa os produtores e roteiristas conseguiram reviver a trama por mais 4 anos. Depois disso, a saída dos personagens principais Lucas (Chad Michael Murray) e Peyton (Hilarie Burton), colocou mais confusão e nervosismo na cabeça dos fãs. Muitos pararam de assistir, muitos criticaram, e muitos afirmaram que a série não seria mais a mesma sem os dois (eu mesmo disse isso). Mas por increça que parível, os roteiristas conseguiram manter o nível da trama e levar a série por mais um tempinho.

A oitava temporada passou pelo mesmo problema,  e dessa vez foi mais forte. O destino da série ainda estava incerto, quando a temporada chegou ao fim, fazendo com que os fãs temessem que a série terminasse sem um final digno. Como ninguém sabia o que ia acontecer com a série, os roteiristas fizeram um final para a 8ª temporada, como se realmente a série tivesse acabado ali, e foi um final digno, com uma cena maravilhosa na mesma ponte que foi cenário da abertura e de todas as outras temporadas. Foi épico! Foi lindo!

Depois disso, para a alegria de uns e drama de outros, a série foi renovada para mais uma temporada. Sim, depois de ter um final perfeito, a série voltaria a ser exibida. O medo dos fãs era o final da 9ª temporada não ser tão perfeito como o final da temporada anterior. Mas, eis que fomos surpreendidos, pois foi uma temporada perfeita, na minha opinião. Eu sei que muitos não gostaram, mas quando vamos analisar uma temporada, devemos levar em conta o seguinte argumento: Expectativa x Realidade, certo? A expectativa era de ser um verdadeiro desastre, mas a temporada foi tão boa que me emocionei algumas vezes com cenas que me fizeram lembrar de algumas coisas da minha infância e que me fizeram enxergar a vida de uma forma diferente. 

E foi assim que eu conheci e assisti a melhor série da minha vida. E, se eu fosse você, faria o mesmo, pois você não vai se arrepender, eu garanto!

Alexandre Rivellino
Alexandre Rivellino Seguir

Viciado em séries

Continue lendo
Indicados para você